quarta-feira, 17 de junho de 2009

Primeiro conversamos com os olhos
Depois com as mãos
Agora estou aprendendo a falar com a voz.

14 comentários:

Marcella =) disse...

isso é perfeito.
é como se tivesse sidos premiados.

sweet.cherry.pie disse...

da voz, as vezes não há o mais importante

Salve Jorge disse...

Dizem que a voz
É a foz
Mas eu rio
Já que o rio
Termina no tato...

Emely disse...

enCAntando?

Tatiane Trajano disse...

Singular!

Anitha disse...

Há tempos de se falar com o coração

Eduardo Trindade disse...

Olá!
E não é que andamos mesmo em ciclos como este?
Gostei do teu poema, uma das forças dele é justamente a concisão que permite mais de uma interpretação. O curioso é que eu lembrei de um poema do meu livro que, mesmo sendo um tanto diferente, também tem uma "escala". Ele termina assim:

Que o jogo da conquista
é feito assim,
pouco a pouco,
lado a lado,
primeiro um beijo no pescoço,
o próximo
(quem sabe?)
no coração.


Abraços!
Eduardo.

Ari Pheula disse...

Sei bem o que é isso.
=)
Lindo, lindo.

Bjão

A Menina da bolha. disse...

Nossa!!

adorei.

[me conta sobre seus dias? as quartas-feira e os domingos , rsrs]

[ fiquei curiosa]

Maíra disse...

Belo poema, e belo blog! :)

Devaneios permanentes disse...

Casa linda essa...

:)

Marcelo Lyra disse...

E nos comunicamos, mesmo sem sermos entendidos...

gato preto disse...

"Eles tem tanta pressa de comunicar-se que se esqeucem de aprender primeiro a se expressar."
Mario Quintana

Sam disse...

Diz mais Meire... diz.

Beijo =)